terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

53

O número 53 era sinônimo de velocidade, arrojo e público em pé. Fosse nas duas ou quatro rodas, o 53 sempre foi competitivo e conquistou inúmeras vitórias e títulos com Ronaldo Nique, um dos grandes da história do automobilismo e motociclismo gaúcho. 53 era a idade com a qual infelizmente ele nos deixou, na última sexta, após um acidente na Freeway. Uma triste notícia que recebi neste retorno do carnaval.

Grande figura, sempre brincalhão e querido por todos, vai deixar saudades. Nique dividiu seu vasto acervo fotográfico e inúmeras histórias com este blog que podem ser visualizados clicando aqui.


Fonte da imagem: arquivo Ronaldo Nique.

7 comentários:

Anônimo disse...

Corria como poucos, foi um cheveteiro assumido e nos deixou inúmeras boas lembranças nas pistas. "Bota", com B Maiúsculo!...

Aloisio Adib

Carlos Alberto Petry disse...

Dizer o que... mas de qualquer forma foi uma honra ter tido o Nique como adversário, pois ele como poucos fazia a disputa prazeirosa. Adeus Guri...

Marcelo Pacheco #49 disse...

Uma perda lastimável. Que acelere fundo onde quer que esteja.

Anônimo disse...

Soube do acidente, mas não sabia q era o Nique! Meu primo andou com ele no final dos anos 70 e tb, um amigo meu q o conhecia. Diziam q o kra nadava dmais. Meus sentimentos a família e amigos. Ando na free-wail todos os dias, e é piada a inabilidade dos motoristas. Os kras andam na pista da esquerda e ñ deixão ninguem passar e ainda ficam brabos. Vim da praia na segunda-feira e olha que não andei a mais de 120 Km/h mas a pista da direita fluia mais q a do meio e da esquerda, então é aquele cuidado e dar motor para ultrapassar e andar, porquer c ñ o kra anda a 80 Km/h na pista da esquerda e pior que a PRF ñ faz nada, só sabe multar excesso de velocidade e trago, é F. Não vi um só carro da PRF na ida e na volta.

Tazio Nuvolari

Giancarlo Gasparotto disse...

Foi o cara mais rápido que conheci.

IBRAIM disse...

Sanco só hoje 24/02, voltei da praia no Cassino, não tomei conhecimento do acidente que vitimou o querido Nique, um guri que começou comigo no Motociclismo, nós brigavamos mas éra pela ancia de ser um bom piloto que sem duvida foi, que Deus o tenha no reino da gloria.

vilsom disse...

Tive o prazer e a honra de fotografar e conviver com o Nique. Bota com B maiúsculo, bem grande, em negrito. Acelerava de moto, de carro, de repente, até "de a pé".
Nunca esqueço dos tempos em que ele era propagandista do Laboratório Aché e foi para Tarumã teinar, no horário de trabalho. Como acelerava um monte, acho que fez o melhor tempo ou algo semelhante. Não deu outra: saiu no jornal o seu feito. O chefe viu, não gostou e mandou o homem para a rua, se não estou enganado. Este retratista também trabalhou no ramo, por isso nunca esqueci.
Muita gente não sabe, mas enfrentou um seríssimo problema pessoal, com a esposa. Posso não estar contando direito, mas, em resumo, ela ficou anos a fio em estado de coma e ele, ao contrário do que muitos fariam, sempre ficou a seu lado. Informaram-me que costumava, a cada aniversário dela, contratar maquiadora, cabeleireira, manicure, para que a deixassem o mais bonita possível, para comemorar. Depois de anos, infelizmente acabou falecendo.
Eu, que já o admirava como piloto, ao saber disso, tornei-me seu admirador como pessoa, como homem de bem, uma raridade.
Há poucos meses o encontrei nas Ferramentas Gerais, acompanhado da filha adolescente, sinal de que também era excelente pai. A grande maioria vai viver a vida e esquece esposa, filhos,o que é mais cômodo.
A gente fica triste ao ver tanto corrupto, ladrão, gente da pior espécie esbanjando vida e morrendo de velho, ao passo que as pessoas boas são chamadas antes da hora, deixando um vazio em nossas vidas.
Agora, lá pelo Céu, deve estar havendo um baita reboliço. É até capaz de haver gente cometendo o pecado da inveja, porque, na primeira corrida que houver por lá, podem estar certos de que ele vai incomodar os outros botas que também já se foram.
Só que a gente aqui não sabe em que canal transmitem as corridas de lá.
Como consolo, só nos resta espichar o olho, na Curva Um de Tarumã, esperando o 53 aparecer na liderança ou colado no líder, quem sabe até tentando uma ultrapassagem por fora, coisa que na Um, só tenta quem tem aquilo roxo.
E coração e alma do tamanho do Universo.