sábado, 5 de janeiro de 2013

A primeira de Guaporé

O e-mail chegou assim: Sanco, bota no teu arquivo aí, que uma hora pode ser útil. Escanearam umas fotos que tínhamos num quadro no posto da inauguração do autódromo em 69.

Mal sabia o meu amigo que estava compartilhando um verdadeiro tesouro.

Pois bem, a família do João Bresolin é proprietária de dois postos de combustível lá em Guaporé. Tudo começou com o avô dele, o "Padrinho", como é chamado. Além dos dois postos, que eram Atlantic na época (hoje Ipiranga, um na faixa e outro dentro da cidade), o "Padrinho" era proprietário da Auto Viação Guaporé, que mais tarde foi vendida e hoje é a empresa Bento. Eis que num dos postos, havia o tal quadro com as fotos das inauguração. O João, sabendo do blog, resolveu enviar para dividir com todos.

Ao longo desses pouco mais de cinco anos, foram raras as imagens desse dia 21 de dezembro de 1969. Se não me engano, consegui alguma coisa com o Arnaldo Fossá, o "Janjão" Freire e o Luiz Gustavo Tarragô e nada mais.

A imagem que escolhi para ilustrar o Desafio da Semana, mostrava a preparação do grid de largada da prova principal da programação, as 3 Horas de Guaporé. No #41 aparecia o Fusca do Antônio Monteiro, no #90 o Régis Schuch e no Opala #4 o Aristides Bertuol. A turma foi rápida no gatilho, inclusive o próprio "Nico" Monteiro apareceu confirmando as informações. Ele, que foi o vencedor da prova, também me comentou que o Régis foi provavelmente o segundo colocado com seu Fusca 1900cc.

Disse ele: "o segredo da nossa vitória foi um tanque de 60 litros que permitiu fazer toda a prova sem abastecer, mas também tínhamos um virabrequin roletado, 1800cc fabricado pelo Zé Guedes que era um gênio na mecânica dos VW. Também tínhamos as tampas de cilindro hemisféricas fabricadas pelo Zé. Tínhamos também um ajuste da suspensão perfeita que fazia o Fuca dobrar super bem. Minha vitória foi muito valorizada pela participação do Catharino Andreatta com um Simca muito bem preparado pelo Tergolina em dupla com Luiz Fernando Andreatta (Filho do Júlio). Também o Aristides Bertuol estava com um Opala 3800cc com equipamento EMVEMO que andava uma barbaridade. Na realidade aquele dia foi o meu dia quando tudo deu certo e tivemos uma vitória tranquila mas com muito trabalho!!!"

Grande, "Nico"!

As fotos que publico agora mostram a grande presença do público, a inexistência de boxes, a pouca ou quase nenhuma proteção ao longo da grande reta, enfim, conseguia retratar a realidade do automobilismo na época aqui na região. Realidade que só foi alterada quase um ano após, com a inauguração do Tarumã.

É possível identificar alguns carros, como o Simca #44 que creio eu, era do Antônio Ventre, o Simca #2 do Catharino Andreatta, entre outros.

Aparecem também fotos das provas das classes menores, com Fuscas, Gordinis e DKWs. Numa delas, o Fusca #120 capota no ponto que parece ser a entrada da curva do Radiador. Alguém sabe quem era o piloto? No teto estava escrito Vacaria.

Muito bacana poder publicar e dividir todo esse material com vocês. Guaporé ainda vive e é um autódromo muito apreciado por todos. Obrigado João!























Fonte das imagens: arquivo família Bresolin.

17 comentários:

Cia do automobilismo e rally disse...

Que show essas fotos Sanco!!ate do pasto do padrinho!!haha,muitas e muitas vezes almocei ali!!raridades essas fotos!!muito legal


Marcelo Vieira

Eder Ruschel disse...

Grande Sanco.....
Algumas dessas fotos e outras eu vi quando trabalhei na AGA, lá tinha outras tantas. Se, não me falham as histórias, parece que nessa prova um brigadiano teve o capacete arrancado depois que um carro voou sobre ele. Me parece que foi na inauguração. Meu tio ajudou nessa prova pois eles largavam uma mistura...acho que óleo queimado ou coisa do gênero...para não levantar tanto pó.

Ibraim Goalves disse...

Sanco, acho sensacional esta reportagem da inauguração do Autódromo de Guaporé, ainda na terracom uma camada de óleo.
Esta obra sem duvida é o mérito do Desportista, Piloto e Prefeito, que na época corria de Sinca 34.
O falecido José Carlos Steier então Presidente da FGA, tem uma grande participação nesta obra, eu Dir. Técnico da FGA e membro do CDTN da CBA, fui designado a acompanhar o então Secretário geral da CBA Ramon Van Bugenrrauter e o Prefeito Nelson Barros que alugou um avião em POA, e sobrevoamos o então aeroporto, pois já tinha sido, decolamos e vistoriamos o local e teve à aprovação da CBA.
Esta é uma linda passagem da minha colaboração no Automobilismo Brasileiro.
Inclusive fui o Diretor da prova inaugural de terra com óleo, foi sensacional.
Ibraim

Rui Amaral Jr disse...

Sensacional!!!!!!!

Roberto Giordani disse...

Emocionante ver o grid daquela prova. Pilotos da época das Carreteras como o Galgo Branco Catarino Andreatta e o bento gonçalvense Betuol, pilotos que se destacaram nos anos 60 e novos pilotos que "explodiriam" após as inaugurações de Tarumã e do próprio Guaporé.
E ainda mais: na terra rio grandense, onde o automobilismo de competição era a das mais fortes do país, perdendo apenas para São Paulo pelo poder econômico que aquele Estado sempre teve e por isto mesmo revelando ótimos pilotos, agora tínhamos dois autódromos em construção.
Infelizmente, queríamos estar presentes nesta data histórica, mas nem eu com o DKW 88 e nem o Chico Feoli com o DKW 99 nos apresentamos porque usávamos carburação tripla aberta e sabem, estava posicionada muito próxima das rodas dianteiras da tração: era certo que na segunda ou terceira volta nossos propulsores já estariam danificados pela areia.
Parabéns ao ti Sanco e a família Bresolin que guardou e agora disponibiliza esta coleção de jóias fotográficas.
Roberto Giordani
Coordenador dos Jurássicos.

Anônimo disse...

Jamais foi divulgada relação de fotos da inauguração de Guaporé em pista de terra como aqui.Na ocasião já estávamos zanzando por lá desde o sábado com os amigos. Eu de Dauphine.É inacreditável mas jamais se encontrou o resultado final da geral e das diversas categorias,mesmo nos jornais da cidade. O próprio Bigode não dispunha. Sabe-se apenas com certeza que o vencedor na geral que foi o fantástico Nico Monteiro.Esse Fusca nº90 é uma incógnita,não me lembro do Regis Schuch que era aqui de PFundo andar com esse Fusca mas apenas com o do Janjão Freire em Joaçaba.Os carros com 3 digitos era da categoria estreantes e novatos.Quem achar os resultados completos dessas provas merece um prêmio! Parabéns Sanco por essas imagens inéditas. PAULO TREVISAN

Nico Monteiro disse...

Amigo Sanco que "Material" Sensacional estas Fotos da Inauguração de Guapore que estavam guardadas por mais de 40 anos.Quero Agradecer ao meu Amigo Paulo Trevisan pelo Carinho e Atenção dito no comentario "Fantástico Nico Monteiro"que partindo dêle me deixou muito "Feliz".Um Abraço Amigo Paulo!!Nico Monteiro.

Anônimo disse...

Essa afirmação sincera NICO é unânime daqueles que te viram correr nas pistas de terra;como melhor colocado gaucho na geral da Inauguração do Tarumã e na sequência da D3.Achei por aqui cartazete(cor amarela)impresso da divulgação para inauguração do Autódromo de Guaporé.Tenho 2 e vou te mandar um com meu abraço.PAULO TREVISAN

Decio Renner Schiffner disse...

Inesquecivel para mim e minha turma na época (Antônio Sartori,Paulo Renner, Egon Straistrasser).Após uma viagem que apresentou problemas na Alfa do Sartori, conseguimos chegar em Guaporé a tempo de assistir a Prova.Entretanto, o inusitado nos esperava.Eu sentado numa caixa de cerveja, e o Sartori em pé na mesma caixa vimos o Fusca capotando, vindo em nossa direção no ar, nunca corremos tanto para não sermos atingidos. Como não havia nenhuma proteção, escolhemos por precaução assistir no acostamento dentro da curva. De nada adiantou, inexplicavelemnte o Fusca voou para dentro e não para fora como era de se esperar. Depois disto, resolvemos antecipar nossa viagem de regresso a POA.
PS.Sensacional rever a foto do fusca voador.

Francis Henrique Trennepohl disse...

ESPETACULAR!!! Que venham mais imagens e o resultado desta prova.
Abraços empoeirados

Anônimo disse...

Fantástico!! Por estas e outras este blog é sensacional, belas fotos, bom papo d quem entende e de quem participou. Parebéns e bom 2013 a todod.

Tazio Nuvolari

Rudolfo (Zuio) disse...

Emocionante - Levei mais de 3 horas para percorrer o trecho Mussum - Guaporé com um carro rebaixado. Dormi na praça para assistir a corrida no outro dia.
Teve tambem a capotagem de um DKW de um piloto estreante - Renato Weisseimer - na curva do radiador.
No autódromo não tinha nada para comer. Cheguei no "restaurante" do radiador e existia somnente uma marmita em cima do fogão a lenha - para todos que chegavam a atendente respondia - esta é do Dr. Nelson. Não tive dúvidas - dei a volta no prédio, bati na porta e pedi o almoço do Dr. Nelson - prontamente a senhora entregou a marmita - triunfante reparti o rango com os demais parceiros - muitos anos depois contei ao Nelson minha façanha - foi uma risada geral.Aliás, aproveitando o deixa: chegando no autódromo vemos "autódromo Dr. Nelson Barro" - nada mais justo, Na passagem pelo túnel, "Circuito Vitacir Paludo" - Vitacir, meu amigo, falecido, nada fez por Guaporé e pelo Autódromo a não ser a pintura de alguns painéis quando a F.Truck corria com o pastrocínio da Vipal - Seus interesses eram apenas comerciais. Continuando - "torre Aurélio Batista Felix" Também, o Aurélio tinha em Guaporé apenas interesses financeiros. Agora pergunto - Onde estão os nomes do Bigode e do Beto Morassuti, guaporenses que deram a vida pelo autódromo? Está lançada a campanha - Vamos corrigir esta injustiça. Com a palavra os Guaporenses, os políticos locais e os pilotos.

Anônimo disse...

Neste evento vários guaporenses correram. Todos eles tinham numeral com final 34. O número 34 era aquele utilizado sempre pelo Nelson Barro - que foi homenageado pelos demais. Em uma das fotos o gordini 134 era do Alberto Morassuti. O Sinca 434 era do Nelson Frizon. Era o mesmo Sinca do Nelson Barro mas com um adesivo com o número 4 agragado ao tradicional 34.
Leonardo Ribeiro Martins.

luizborgmann disse...

Olá amigos,
Vou aproveitar os vários comentários a respeito do piloto/médico/prefeito Dr.Nelson Luiz Barro.
Eu estava a trabalho nos anos 80, e cheguei a Guaporé no final da tarde à procura de hotel para pernoite. Lógico que já conhecia o hotel Topo Gigio, casa habitual de centenas de pilotos gaúchos e brasileiros de todas as querências, mas não deixei, porém, de dar uma olhada na pista. Olhei, curioso, a construção de um novo hotel (Las Carreras), época de ouro nos monopostos em que os gringos vinham aos montes (argentinos, uruguaios, chilenos...), o castelhano já era quase língua oficial. Entro no hotel para conhecer, e lá sou recepcionado pelo proprietário da obra, Dr.Nelson. Cordial, mostrou as dependências e fomos depois para a adega provar algumas delicias. Ali, sem pressa, ele me contou sua trajetória, não na política, mas no automobilismo de competição. Ele, o "homem do #34" falou detalhes da preparação de seu Simca, carburação, as provas do circuito das Antas, etc. Também contou fatos desagradáveis do automobilismo e da política, mas isso não interessa. Fiquei envaidecido por tamanha cordialidade, logo eu, um ilustre desconhecido.
luiz borgmann

luizborgmann disse...

Olá amigos,
Complementando os comentários do amigo Leandro Sanco na abertura do post, em relação aos SIMCA:

Creio que no #44 realmente se tratava de Francesco Antonio Ventre, cujo carro havia, um ano antes, danificado a dianteira por uma pancada de pista nas 12 hs de Porto Alegre;

Posso estar enganado, mas no #21 pode ser o Carlos Alberto Kuenzer, irmão mais velho do Luiz Carlos (Chico Bala);

No #2 o conhecido Catharino Andreatta, o homem dos "punhos de aço". Enquanto outros participantes da prova em Guaporé já utilizavam os modelos de Simca Tufão, Rallye e até EmiSul, o "velho" utilizava um dos primeiros modelos Chambord, ano 1959 ou 1960. Este modelo apresentava carroceria frágil com fadiga precoce na coluna do vidro traseiro, com ruptura na ligação teto x carroceria, e , em consequencia, prejudicando a rigidez torcional. Muito reforço estrutural era soldado ali.

Vale lembrar ainda que os Simca, apesar do small block e flathead, tinha alguns acessórios de fábrica para incrementar a potência, como coletor de admissão para dupla carburação (Rallye e Presidence), alguns utilizando o câmbio 4m do Chrysler Esplanada GTX, o motor de câmaras hemisféricas do EmiSul e ainda, raramente, a opção de reduzida elétrica de painel. Alguns renomados preparadores destes carros, em especial o Antonio Tergolina e o Manoel Dias (da Cranwood) dentre outros, sabiam tirar mais dos motores. E o aquecimento tradicional dos flatheads? Aí já é outra história. Os mais antigos lembrarão destes detalhes. Um abraço.
luiz borgmann

Anônimo disse...

Amigue maro Sanco, mavilha de fotos, tenho algumas entre elas a do Fusca 120 do "Grando" de Vacaria, estavamos acampados, nossa turma de Encantado,ficamos impregnados de poeira com óleo queimado hahahaha.´
Muito importante a opinião do "Zuio", vamos homenagear que realmente merece e deu a vida pelo autódromo, Beto Morassuti e Osmar Chiarello "BIGODE".
Forte abraço a todos!
Eugênio Tramontini- Encantado RS

Anônimo disse...

CORRIGINDO: Amigo Sanco, maravilha de fotos....quem realmente
Eugênio...