segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Nico Monteiro

Passada a estreia de "Nico" Monteiro no automobilismo, contada no último sábado, o objetivo então era a obtenção da carteira de piloto oficial de competição (POC) para permitir participar das 12 Horas de Porto Alegre de 1968. Entretanto "Nico" precisava correr mais uma prova de Estreantes e lá foi ele para Rio Grande, participar das 3 Horas de Estreantes, disputada em Novembro. O "Zé" Guedes, amigo e mecânico, preparou um motor 1600 cc sensacional, porém, em função do aumento dos giros do motor a correia da ventoinha não aguentava e saltava fora. A vitória nessa prova ficou com o Orlando Mueller, irmão do Cláudio Mueller. Leonel Friedrich chegou em segundo e "Nico" em terceiro. Todos com carros preparados pelo "Zé" Guedes.

A imagem abaixo mostra alguns pilotos participantes daquela prova. De costas está Leonel Friedrich e na direita, sentados no cordão da calçada estão Mallet, "Nico", "Zé" Guedes, Orlando e Cláudio Mueller.


Com a carteira de POC na mão, "Nico" partiu para sua primeira 12 Horas, a última prova disputada nas ruas de Porto Alegre, em Dezembro de 1968. Tendo Leonel como parceiro, o quinto lugar na categoria B e o 13º na geral foi uma ótima estreia. As imagens abaixo mostram a comemoração de "Nico" junto ao preparador "Zé" Guedes logo após o término da prova e a entrega do troféu pelo quinto lugar.



O ano seguinte foi bastante movimentado para o jovem piloto. Em Abril, mantendo a dupla com Leonel, obteve a vitória na III 4 Horas de Florianópolis, conforme já contado no último sábado. Em Julho, "Nico" conquistava mais uma vitória, agora na prova de inauguração da Rodovia Presidente Kennedy entre Lageado e São José do Herval (ida e volta) chegando à frente de Vitório Andreatta, com um Corcel. Na continuação do Campeonato Gaúcho a prova de Cachoeira do Sul e Rio Pardo (ida e volta), disputada em Agosto, "Nico" obteve um segundo lugar.

De volta à Florianópolis, em Setembro, para as IV 4 Horas de Florianópolis, competiu com o primo Rogério Monteiro e a dupla chegou em quinto lugar na geral. Em Outubro foi a vez da prova Vale do Rio das Antas entre Veranópolis e Bento Gonçalves. "Nico" furou o pneu no final da prova e terminou em segundo lugar.

A última prova do Campeonato Gaúcho foi o Circuito Encosta da Serra, em Novembro. "Nico" lembra que foi uma corrida incrível. "A Saboneteira 1600 branca estava tinindo com caixa 1 da Puma, comando P3 e carburação Webber 48 duplos. Na ida de São Francisco de Paula para Vista Alegre foi tranquilo. Vim na frente todo tempo com cerca de três minutos de vantagem para o Giliat Oliveira, só que ao receber a bandeirada em primeiro o motor fundiu então não pude voltar. Assim perdi o campeonato para o Aldo Costa e fiquei com o vice na Classe 1301 a 1600 cc."




De acordo com "Nico" a vitória mais importante foi em Dezembro daquele ano, na prova inaugural do Autódromo de Guaporé, ganhando das feras da época, Catharino Andreatta e Breno Fornari, duas lendas do nosso automobilismo. Infelizmente não há registros dos resultados. Ao menos publicado na internet e nos livros. Vários pilotos com os quais já tive contato e que estiveram naquela ocasião como Ricardo Trein, Arnaldo Fossá, "Janjão" Freire e Luiz Gustavo Oliveira também não os tem. Mesmo assim, "Nico" guarda a fotografia da entrega do troféu de vencedor das 3 Horas. Encontrei um registro da largada, nos arquivos do "Janjão" no qual é possível ver o Fusca tomando a dianteira dos Simcas, o Opala do Bertuol, entre outros.



Amanhã a continuação da trajetória do "Nico" Monteiro nas competições.

Antes de encerrar, observei que tanto a Saboneteira do "Nico" na Encosta da Serra, quanto os Fuscas do "Janjão" (#47) e do Rosemberg (#71), que aparecem na largada da prova de Guaporé, tinham um "M" no vidro traseiro. Alguém sabe o que significava?

Fonte das imagens: arquivo Antônio Monteiro e Antônio Freire.

19 comentários:

Anônimo disse...

Sanco que fotos lindas da Saboneteira do Nico Monteiro parece uma BMW 1600. Excelente a tragetória dêste Piloto realmente um "Bota". O M colocado no Vidro trazeiro do Janjão e do Nico era invenção do Stringhini que pintava os carros dizem que M era inicial de uma namorada dêle. Um Abraço Nelson Mendes Rocha.

luiz borgmann disse...

Terceira foto, esse de blusa preta é o Antonio Pegoraro não?
luiz borgmann

Leandro Sanco disse...

Antônio Pegoraro, ele mesmo. Alguém sabe onde era feita a entrega dos troféus?
Sanco

Leandro Sanco disse...

Bah, e essa aí do M tu foste buscar lá no fundo do baú, hein Nelson?!

Carlos Belleza disse...

O Rio Grande Do Sul sempre foi um celeiro de grandes talentos no automobilísmo, olhem só a gurisada na foto junto ao cordão da calçada, o Nico, correu por pouco tempo e mesmo assim pode demonstrar o grande talento que tinha, o Cláudio e o Leonel nem se fala, o Zé Guedes foi um preparador reconhecido pela sua capacidade e talento e o Orlando Müller, que pouca gente viu pilotar era talento puro, reconhecido pelo própio Cláudio, seu irmão.
Ganhar desta gente aí não era fácil, hein Nico?
História: A primeira vez que vi o protótipo AC VW do Nico andar em Tarumã tomei um susto, o motor fez fumaça na chegado do laço, típica de pistão quebrado,só que continuou andando e fazendo fumaça no mesmo lugar, ficamos sabendo depois que era uma injeção de óleo para diminuir a temperatura, conta aí Nico, como era isto.
Abraço a todos.
Carlos Belleza

Roberto Giordani. disse...

Belleza! Consegui extraviar teu e-mail. Podes enviar novamente para gellatiere@terra.com.br?
Pelo menos uma dezena de Jurássicos irão a Passo Fundo a convite do Trevisan na Homenagem ao Cláudio Mueller; porque não te junta a nós?
Envia o teu e-mail que te explico melhor.OK?
Um grande abraço.
Roberto Giordani.

Nico Monteiro disse...

Caro Sanco a entrega dos Trofeus era na sede do Automóvel Clube na Av.Farrapos o Pegoraro era o Presidente na época.Parabens o Blog está cada vêz melhor.
Um Abraço Nico Monteiro

luiz borgmann disse...

Me parece que o Orlando Mueller não seguiu com o automobilismo depois destas provas mencionadas. Gostaria que alguém confirmasse se era o Orlando Mueller que tinha uma casa de produtos de aços especiais Solingen no bairro Tristeza em Porto Alegre, falecido há pouco tempo.
luiz borgmann

Roberto Giordani. disse...

Será que algum dos amigos poderia confirmar que seria o Victor Hugo Ferlautto que está sentado ao lado do Cláudio Mueller na foto da calçada? Também, acredito que aquele que está fumando(que ruim) é o Waldyr que era Diretor Técnico do Iwers, desde a época da gloriosa oficina da Vemag, e permaneceu lá quando mudou para Revenda das "fusquétas azeitérras" do Esbroglio.
Um grande abraço a todos.
Roberto Giordani.

Carlos Belleza disse...

Giordani, aquele ao lado do Cláudio é igual ao Vitor Hugo, com quem eu perdi o contato desde meados de 70.
História: O Vitor Hugo e o Luiz Mário, meu irmão, correram de Brasília D1 umas 6 hs em Tarumã, acho que em 73, e levantavam a galera do tala botando a "brasa" de lado na descida. Consultei o Paulinho Shütz e parece que o Cláudio Müller ganhou este prova.
Abraços.
Carlos Belleza

Anônimo disse...

realmente a foto ao lado do Claudio e do nosso amigo vítor hugo Ferlautto que foi conosco a Rio Grande na epoca ele namorava a filha do Getulio Mueller dono da Cautol em Canoas.Fazem muitos Anos que não tenho contato com Vitor hugo.

Roberto Giordani disse...

Falei a pouco com o Nico e ele realmente confirmou que é o Victor Hugo Ferlauto. Descobri também, que está na foto o cunhado do Claudio; o Luiz Paulo Hoppe....é aquele agachado, que só aparece o rosto meio sorrindo com um chapéu de australiano na cabeça.
W o "fumador" é o Waldyr mesmo; milagre o Esbrolio não se manifestar até agora porque eu escrevi "fusquétas azeitérras".

blog disse...

O Vicente Mallet que está na foto é o meu falecido pai. Gostei muito de conhecer essa foto histórica, uma vez que não tinha registro algum da fase de corredor do meu pai. Gostaria de saber onde conseguir essas e outras imagens.
Obrigado.

luiz borgmann disse...

Na foto da inauguração de Guaporé, é possivel identificar o Simca #2 (terceiro carro na parte interna do retão) que seria do Catharino Andreatta, que é o mesmo carro (Simca modelo antigo, anterior aos Tufão) que vi o Catharino participar em suas derradeiras corridas no Braço Morto, praia do Imbé (RS) nos meses seguintes. Se vê no pelotão dianteiro o Opala 3800 do Bertuol, qual o motivo da desistência da prova ou da sua má colocação? Creio que o Simca #78 seria o do José Madrid? Por ultimo, nesta mesma foto se vê, bem atrás, somente o bico de um carro com a inscrição AGA (Guaporé), parece ser um Corcel, de quem seria?
luiz borgmann

Roberto Giordani disse...

Olá meus amigos!
Continuando na Série " Ache as figuras do passado", pergunto:
Aquele fotógrafo ao lado direito da foto da largada de Guaporé, com bolsa e tudo, não seria o " Pé Frio?".
Para os que desconhecem, o "Pé Frio" era um fotógrafo que por muitos anos acompanhou fotogrando as corridas realizadas aqui no Sul.
Pela metade dos anos 70(caredito ser esta data)foi para São Paulo, fez ainda alguns contatos e depois nunca mais ouvimos falar dele.

Fernando Esbroglio disse...

Giordani....todos posts eram a respeito do Nico, com quem conviví longo e frutuoso tempo. Deixei de comentar sobre tuas mágoas frente à supremacia dos VW sobre os dkw(minusculas de propósito) por respeito ao Nico e porque eu navegava no Mediterraneo (sorry). Em tua homenagem, fui comer sorvetes em Taormina (Sicilia) que são considerados os melhores do mundo ! Viva o sorvete e as Fusquetas.

Roberto Giordani disse...

Caro amigão Esbroglio!
A minha única mágoa foi ter visto o "poder imperialista" da VW ter esmagado( pensamento de socialismo barato)uma marca vitoriosa que foi a DKW(letras maíusculas)por medo da concorrência desta última.
A não ser na inauguração de Tarumã,quando eu mesmo tive vergonha de mim e do meu 88,não fiquei devendo a qualque "fusquéta azeitérra" desde que estivesse dentro da minha categoria; e não te esqueças que eram somente 1000 cc. contra 1300 cc., "ou mais....".
Sabes que te admiro como piloto e muito te prezo como amigo, motivos pelos quais, prefiro te parabenizar por teres tomado sorvetes em Taormina na Sicília-Itália, deliciando teu paladar,do que continuar falando em DKW e vw.
Teremos ainda muitos rouds pela frente nesta peleia de fumaceiros contra azeiteiras.
Um grande abraço.
Roberto Giordani.

Marcelo Cé disse...

O Corcel com a inscrição AGA,a que se refere o Luiz Borgmann, se não me engano, era o do Abílio Weiand de Lajeado.

Ana Marley disse...

Olá, Nico Monteiro. Meu nome é Ana Marley, sou colunista no jornal de Porto Alegre Rio Grande do Sul. Gostaria de agendar com você uma entrevista para contar-nos como foi sua experiência no ramo automobilístico. Teria como entrar em contado com você? Obrigada, aguardo retorno. Ana Marley