domingo, 29 de abril de 2012

Desafio da Semana

O guard rail lá em cima não deve deixar dúvidas sobre o local. Mas e o piloto, a categoria e o ano, será que conseguirão identificar?


Mãos à obra!

sábado, 28 de abril de 2012

O melhor circuito de rua do calendário

O Francis "Poeira na Veia" foi rápido no gatilho e identificou o local do último Desafio, lá mesmo onde mora, em Florianópolis. Era mesmo a prova do Sul Americano de Fórmula 2 em 1986. O piloto, identificado pelo Renato Granito, era o Pedro Grendene e não o Cezar "Bocão" Pegoraro, como alguns pensaram. Os carros eram idênticos, mas "Bocão" corria com o #7 e Pedro com o #8.

A prova, disputada no dia 30 de Março, era a abertura do campeonato e a primeira realizada nas ruas da capital catarinense. Foi um verdadeiro sucesso com a aprovação dos pilotos e do público. Leonel Friedrich classificou Florianópolis como o melhor circuito de rua do calendário, que ainda tinha provas em Mar del Plata, Punta del Este, Puerto Iguazú e Colonia. Cerca de 80.000 pessoas se espalharam pelos 2.910 m do traçado e viram o domínio argentino desde os treinos. O pole position foi Guillermo Kissling e a vitória ficou com Miguel Angel Guerra. Em segundo chegou Guillermo Maldonado com Rafael Verna em terceiro. O primeiro brasileiro foi Leonel, em quarto.

Nos comentários do post, o Luiz Borgmann questionou sobre a marca de cosméticos Pierre Alexander. Eu jurava que tinha a ver com os Grendene, já que os irmãos Pedro e Alexandre (Pierre e Alexander, em francês) eram grandes incentivadores do esporte a motor. Mas o Roberto Giordani, reforçado pelo próprio "Bocão", nos trouxeram as informações precisas sobre a origem do nome.

Legal também o comentário do Dirk Werk, vocês viram? Foi ele quem recortou "na mão" cada uma das letras dos carros da equipe para que o não menos talentoso "Marquinhos" Queiroz pintasse essas obras de arte. Que bacana!

Abaixo algumas imagens daquela prova.







Fonte das imagens: arquivo Cezar Pegoraro, revistas Corsa, Placar e Quatro Rodas.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Presentão

Olha aí o presentão que ganhei na semana passada. Quem mandou foi o amigo Paulo Tohmé, o cara das miniaturas. Autografado pelo próprio "Chiquinho" Lameirão, já está na parede aqui de casa.


Não sei o que fiz para merecer o gift, mas adorei! Valeu Tohmé! Valeu "Chiquinho"!

sábado, 21 de abril de 2012

Mil Milhas 1973

O último Desafio foi fácil e o Paulo Schutz foi rápido na identificação dos carros e pilotos. À frente ia o Fusca #41 da dupla Luís Evandro Águia e Júlio Caio Azevedo Marques e mais atrás o Fusca #11 do Frigo Renner de Fernando Esbroglio e Julio Renner. A imagem era das Mil Milhas de 1973 e foi encontrada nos arquivos do Jan Balder, que também correu naquela prova, em dupla com Bob Sharp, no Opala da Brahma.

Entre os 64 carros inscritos estavam alguns poucos gaúchos. Além de Esbroglio e Renner, também participaram da prova Bruno D'Almeida em dupla com Voltaire Moog, o trio Joel Echel, Raul Machado e Ervino Einsfeld e João Roberto Schmidt, que correu com o paulista Ricardo Di Loreto.

Nos treinos, Bruno conseguiu o segundo melhor tempo entre os carros da Volkswagem, sendo superado apenas por Ingo Hoffmann, que corria com Alex Dias Ribeiro. Na geral, largou em 8º. Esbroglio e Renner largaram da 20ª posição. A chuva que caiu ao longo de todos os treinos prejudicou muito o acerto dos carros. No segundo dia de treinos Renner percebeu que estava com as relações de marcha trocadas e isto o fez perder tempo de adaptação à pista. O próprio Esbroglio lembrou detalhes treinos e da prova: "nossa classificação foi sem conhecer a pista. Era a primeira vez do Julio em Interlagos e eu só havia andado uma volta em 1971. O retão exigia muita atenção, pois quando chegava a velocidade máxima, a porta esquerda se abria sozinha... e não era possível fechá-la antes da Curva 3. O fenômeno era fruto e obra de aliviamento de peso e alguma pressão aerodinâmica que em outros autódromos jamais havíamos experimentado. E assim íamos muito bem, mesmo tendo largado em 20º lugar na Geral. Subimos até os primeiros lugares na categoria (a mais numerosa e disputada na época) até que num turno que pilotava o Julio tivemos uma quebra mecânica que nos retardou e nos colocou de volta neste 19º. lugar."

Aquela foi a segunda prova de Julio Renner após sair da escola de pilotagem. A primeira havia sido duas semanas antes em Rivera, no Uruguai.

Procurando nos arquivos, encontrei alguns registros da participação do trio Joel Echel, Raul Machado e Ervino Einsfeld, além do Opala do Jan Balder.






Fonte das imagens: arquivo Joel Echel e Jan Balder.

domingo, 15 de abril de 2012

Jurássicos Speed Day

Hoje foi dia de atividades na pista para os Pilotos Jurássicos Gaúchos. Desta vez o tempo ajudou e a turma pode se divertir.

Para saber como foi, cliquem no link do Velopark. "Chico" Feoli, Victor Steyer e o Walter Soldan, fizeram os melhores tempos. Tiveram direito até pódio com troféu e tudo o mais.

Uma pena não ter podido comparecer. O pé ficou coçando a manhã toda...

Desafio da Semana

Que belo click. Vocês certamente saberão identificar o lugar, o ano e os pilotos daquele que vem alí atrás.


Mãos à obra!

sábado, 14 de abril de 2012

Fernando Maciel

O último Desafio parecia fácil, mas uma figura ao lado do carro acabou confundindo todo mundo. Aquele era mesmo o Heve com o qual o Lárcio "Totonho" da Silveira, grande kartista, competiu no Gaúcho de Fórmula Ford no final dos anos 80 e início dos 90. Porém, naquela prova em questão e em mais algumas daquela temporada de 1990 (acertou o Borgmann), o #6 foi pilotado pelo Fernando Maciel.

Quem mandou o registro foi o Roberto Mantovani, grande amigo de Maciel e que inclusive, como já contado aqui mesmo, foi parceiro de equipe deste em 1981, na época em que ambos corriam pela equipe Quimiogravura.

Após o kart, Maciel competiu no Campeonato Regional de Turismo, Fórmula Ford, Copa Fiat e em 1996 sagrou-se campeão das tradicionais 12 Horas de Tarumã, ao lado de Eduardo de Freitas e Vitor Hugo Ribeiro de Castro a bordo de um Aldee.

Sobre Lárcio, foi um dos melhores de sua época no kart, no início dos anos 80. Depois passou também por várias categorias como Hot Car, Regional de Turismo e Fórmula Ford.

Tenho alguns registros de Maciel nos Fiats, mas faltou tempo para a pesquisa e publico duas imagens do "Totonho", uma de uma prova de Hot Car em 1985 (Fusca #46) e outra do Passat #66 com o qual competiu no Regional de Turismo de 1989 em parceria com Luiz Carlos Paré Rodrigues e Januário Pedro Cavalheiro.



Ainda sobre a Fórmula Ford de 1990, Lárcio e Maciel dividiram o grid com outros pilotos como Abramo Mazzochi, Carlos Mazzochi, Vadis Grando, Ricardo Morassutti, Paulo Barreto, Linoir Casarotto, Paulo Pujol, Fernando Schlosser, José Rossi, Joel Castilhos, David Hilgert, Paulo Ratkiewicz, Alexandre Avino e André Klein, que acabou se sagrando campeão daquela temporada.

Fonte das imagens: jornal Esporte Motor e arquivo pessoal.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Gaúcho de Marcas, 1993

Mais um ótimo vídeo, publicado pelo Gilson Gutheil, também conhecido como "Chico Bala Sobrinho". Gaúcho de Marcas e Pilotos, Tarumã, 1993. Toda a segunda bateria, transmitida pela TV2 Guaíba.

Um pega do início ao fim, com vários carros disputando a primeira posição. No final quem levou a melhor foi o Jorge Fleck com seu Voyage amarelo.



Eu tenho quase certeza de que sou eu e meu irmão, ambos com bonés vermelhos, sentados no Tala. Naquela época, a gente não perdia uma.

Valeu, Gilson!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Jurássicos Speed Day

Há poucos dias foi comentado por aqui que no próximo sábado haveria um encontro dos Jurássicos no Velopark. Pois bem, desde domingo passado a turma vem acompanhando de perto a previsão do tempo, ressabiada por causa da última vez que fomos até lá e acabamos cancelando a andada em razão do mau tempo. E, mais uma vez, a previsão para o sábado não é nada boa, mostrando chuvas em boa parte do dia.

Para não deixar ninguém "chupando o dedo", o Roberto Giordani mandou avisar que a programação ficou então transferida para o domingo, na parte da manhã. São esperados grandes nomes das pistas para acelerar os pequenos Veloce, que embora pareçam, não tem nada de brinquedo. Eles chegam fácil nos quase 190 km/h. Um registro da primeira andada, na qual o amigo aqui teve a chance de participar, no final de 2010, pode ser visto clicando aqui.

Quem quiser conferir a turma acelerando é só chegar no Velopark no domingo pela manhã, entrando pelo kartódromo e se dirigindo até a pista principal.

Nos vemos lá!



Fonte da imagem: arquivo pessoal.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Enchendo o grid das 12 Horas 2012

Hoje fecho a retrospectiva com os carros que não participaram das últimas 12 Horas, ao menos desde 2007, para cobrir o período no qual o blog está na ativa. Os de hoje são de 2010. Somados todos temos cerca de 40 carros que por um motivo ou outro não participaram mais. Alguns foram destruídos em acidentes ou até mesmo foram vendidos e transformados em carros de rua, como informaram. Mas uns quantos estão parados, esperando para voltar.

A enquete das 12 Horas segue. Estamos na segunda fase e em breve farei um resumo de tudo que tirei dessa ideia.











Fonte das imagens: arquivo pessoal.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Numa boa

No último encontro dos Jurássicos, tão logo entrei no Templo dos DKW's, fui recebido pelo "Chico" Feoli com um presente. Ele me disse que fazia tempo que estava para me entregar, mas como estive ausente dos últimos encontros, a entrega atrasou. Na mão dele um DVD com gravações de duas provas da antiga Fórmula 2 em Tarumã. A primeira já publiquei no Youtube e a segunda vai em breve.

A de hoje mostra a 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de 1984. Uma cobertura feita pelo Caio Chaves Barcellos, do programa Realce, que creio passava na TV Pampa. "Bocão" Pegoraro vinha de uma vitória na etapa de abertura em Interlagos. Fez o terceiro tempo na classificação, mas já na largada ultrapassou o pole Leonel Friedrich e "Chico" que alinhava em segundo. Não deu chance para os adversários, nem mesmo "Chico", que após recuperação travou forte disputa com "Bocão" pela liderança, porém tendo de se contentar com o segundo lugar. Em terceiro terminou Marcos Troncon.

É possível ver todos os gaúchos que participaram naquele ano. Além dos já citados "Bocão", "Chico" e Leonel, apareciam também, Pedro Grendene, Anor Friedrich, Aroldo Bauermann, Ronaldo Ely e o "Castrinho".



Legal demais esse registro, com direito a música de fundo, imagens dos preparativos, ótimos pegas e entrevistas, como a do "Bocão" no final, dizendo estar tudo numa boa.

Valeu, "Chico"!

domingo, 8 de abril de 2012

sábado, 7 de abril de 2012

Prova Internacional 300 Milhas de Tarumã

O último Desafio foi bem fácil e não tinha nada de primeiro de Abril como alguns acharam. Era mesmo o Jan Balder a bordo do protótipo Casari A-1. Aquela imagem era da prova 300 Milhas de Tarumã, disputada no dia 30 de Maio de 1971. Era a primeira prova de integração entre brasileiros e argentinos e que contou com 13 carros no grid.

Jan fazia parte da equipe Brahma que contava ainda com mais dois carros, a Lola T-70 de Norman Casari e o Repe 227 de Renato Peixoto. Casari e Anísio Campos construíram o A-1 a partir do chassi do lendário Carcará, detentor do recorde de velocidade para veículos com motor 1.000 cc em 1966 (212,903 km/h). No lugar do motor de DKW, foi instalado um de Ford Galaxie, um V8 272 com 4.458 cc. O entre eixos do carro tinha 2.300 mm e por isso era também chamado de 230.

Os demais participantes eram:
José Renato Catapani - Lola T-210 (vencedor);
Pedro Victor de Lamare - Fúria-Chevrolet;
Rubem Alonso (Arg) - Vounta-Tornado;
Jorge Ternengo (Arg) - Berta-Tornado;
Antônio Carlos Avallone - Lola T-70;
Breno Fornari - Simca Regente;
José Pedro Chateubriand/ Fernando Esbroglio - Puma;
Dino Di Leone - Protótipo Aragano;
Luís Moura Brito - Protótipo VW;
Ricardo Trein - Protótipo DKW.

Na disputa em duas baterias, Jan obteve dois quintos lugares e ficou com a quarta posição no geral.

Ele mesmo contou alguns detalhes da prova aqui mesmo no blog.

Abaixo mais alguns registros da participação de Jan naquela prova.






Fonte das imagens: arquivo antigo site do Autódromo de Tarumã e revista Quatro Rodas.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Enchendo o grid das 12 Horas 2012

Os carros de hoje são das 12 Horas de 2009. Onde eles estão? Por que não voltam às pistas?











Fonte das imagens: arquivo pessoal.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Emoções revividas

Na última quinta aconteceu mais um encontro dos Jurássicos lá no Templo dos DKWs do Teodoro. Foi a minha primeira oportunidade de reencontrar os amigos após a pausa de final de ano. Aconteceram encontros na praia, mas que não pude participar.

A pilotagem da grelha ficou por conta do Antônio Miguel Fornari. Os assuntos da Confraria foram repassados com a maestria de sempre pelo Roberto Giordani. Além disso, a liderança da Copa Classic esteve por lá para falar sobre a temporada de 2012.


Falando em Copa Classic, a noite foi marcada por um momento muito emocionante, onde o Giordani e o "Chico" Feoli agradeceram o gesto do Teodoro, e do seu filho Gabriel, de preparar o #88 para que ambos pudessem novamente sentir a emoção da pilotagem de um carro que marcou a carreira de ambos, durante a preliminar da última 12 Horas de Tarumã. Um quadro com o #88 em 1971 e 40 anos depois foi entregue para compor a decoração do Templo.



Entre as várias histórias e depoimentos que ouvi ao longo da noite, dois me marcaram pela emoção com a qual foram relembrados. O primeiro ouvi do Nelson Ely, o mais novo membro do grupo, o qual tive o prazer de conhecer pessoalmente naquela noite, mesmo ele já tendo sido assunto por aqui dia desses. Ely contou das dificuldades e da falta de apoio do pai para iniciar no automobilismo e descreveu a sua participação na prova inaugural do Tarumã, com seu DKW #23, como a maior emoção da sua vida.

Outro relato impressionante foi do Professor Cláudio Mueller, que descreveu o JK como o melhor carro que pilotou em toda a sua carreira. Cláudio lembra que nas 12 Horas de 1973, fez dupla com Fernando Rangel no JK #72, o mesmo que era da Primorosa. Já na segunda volta ele teve o parabrisas quebrado e parou no box pedindo para que retirassem o vidro traseiro, melhorando assim o fluxo de ar dentro do carro. Naquela prova estavam estreando nada menos do que 13 alunos de sua escola de pilotagem. "Claudião" contou que sempre que ultrapassava algum deles, se posicionava à frente e fazia gestos, mostrando qual deveria ser o traçado a ser adotado, transformando aquela prova numa importante aula prática e, ainda por cima, supervisionada. Em tempo, a dupla Mueller e Rangel obteve a vitória em sua classe.



Essa foi mais uma noite bacana, proporcionada por esse grupo fantástico dos Jurássicos, do qual tenho a grande honra de participar.

Fonte das imagens: Francisco Feoli, arquivo Nelson Ely e revista Quatro Rodas.