terça-feira, 20 de abril de 2010

Direto de Bagé II

Nosso amigo "Caranguejo" toma conta do bloguesinho no post de hoje, desenterrando mais uma história automobilística, desta vez envolvendo nosso querido "Bocão" Pegoraro. Não deixem de ler.

"Cezar Pegoraro em Bagé? O que faria o piloto trocar Santa Catarina pelo Pampa gaúcho? A tranquilidade? A paisagem? Pois acredite; houve tempo em que o campeão pensou em vir a esta cidade de fronteira. Ano, 1983. Categoria Fórmula 2, Interlagos, Campeonato Brasileiro. Na disputa pelo título estão os gaúchos Leonel Friedrich e Cezar Pegoraro, o Bocão, além do paulista Marcos Troncon. Leonel, da Equipe Carro do Povo-Ipiranga tem duas vitórias na temporada. Nos treinos com um bom motor, faz a pole position, o que reforça seu favoritismo. Bocão, que venceu apenas uma vez durante o ano, treina bem, mas parece estar se poupando para a prova. Por fim, Marcos Troncon, que leva vantagem no número de vitórias (três), tira o proveito de correr em casa e conta com o apoio do experiente preparador Ico Cilento. O clima relativamente calmo dos treinos se esvai quando a prova começa. As versões dizem que os ocupantes das três primeiras filas queimaram a largada, exceto o pole Leonel. Troncon e Pegoraro, dividindo a segunda fila também o teriam feito, mas Marcos Troncon espertamente consegue deter seu carro ao contrário de Bocão, que faz o mesmo mas não evita uma fritada de pneus. Foi sua ruína, pois a fumaça (que muitos garantiram ser do carro de Ronaldo Ely, que estava à frente) caracterizou que Pegoraro mexera seu carro. A televisão que está cobrindo o evento não ajuda a esclarecer com suas imagens pois só tem uma câmera posicionada que mostra o grid inteiro de frente. Na época o sistema de largada era diferente do atual e os carros só podiam mover-se depois da luz verde acender. Inicia-se então a corrida da polêmica. Francisco Feoli dispara na frente, seguido de Ronaldo C.Ely e Bocão, enquanto Leonel tem problemas com a embreagem e vai ficando para trás. Bocão faz uma corrida soberba e em uma volta já é o líder. Troncon corre com prudência e nem tenta alcançar o gaúcho. Já na segunda volta, a Equipe Taurus-Grendene é informada que Pegoraro e apenas ele será penalizado por queima de largada e agiliza um protesto, alegando que Troncon e outros pilotos cometeram a mesma irregularidade. A corrida de doze voltas, dominada por Bocão não termina na chegada. Prossegue depois, com as discussões, as vozes elevadas e as declarações acaloradas.

Com o acréscimo de 30 segundos ao seu tempo, Cezar Pegoraro despenca da 1ª para a 4ª colocação e Troncon comemora seu título. Indignado, Bocão solta o verbo: “Esta eu não engulo. Em São Paulo só tem armação de circo para paulista vencer. Vou protestar em tudo quanto é lugar, contratar advogado, recorrer e se for preciso entro com processo em tudo quanto é lugar, até no Foro de Bagé”, conforme ficou registrado na revista AE, número 230, de janeiro-fevereiro de 1984. Mal sabia o irritado piloto que na temporada seguinte, venceria de forma magistral o Campeonato Brasileiro de Fórmula 2, sem dar chance a qualquer adversário. Eu nunca soube se Bocão veio à terrinha ou não...mas ela está ao dispor.

C.Henrique Mercio"




Fonte das imagens: arquivo Cezar Pegoraro e revista Pódium Graphic.

6 comentários:

Rui Amaral Lemos Jr disse...

Muito bom meus amigos!
Parabens Caranguejo.

Abs

Rui

Jonny'O disse...

Nossa, nem lembrava mais dessa confusão ,mas tenho que admitir uma coisa ,na epoca eu torcia para quem corria de Heve ,achava o carro mais bonito e tinha uma certa birra do Mufatão porque era uma copia do Berta .

Coisas de criança.

granito disse...

Na F-2 Brasil tinha uma torcida pros gaúchos apesar de ser paulista. E a torcida era pro Bocão e o Leonel. Mas coo não gostar de pilotos do talento do Troncon, Adu Celso, Feoli, além do preserverante e idealista Muffato.Não lembro de outra categoria de monoposto como esta , multimarcas de motores e chassis e ainda quando se tornou sulamericana só melhorou , trouxe rivalidade om aergentinos e uruguaios e... bom, que pena que acabou.

luiz borgmann disse...

Em uma das primeiras provas do Campeonato Brasileiro de Passat, em Interlagos, com um grid imenso e o Bocão lá atrás. A luz verde ainda não tinha aparecido e o Bocão já tinha ultrapassado meio grid pelo acostamento. Passou a primeira volta entre os primeiros, mas a direção de prova flagrou e penalizou. Alô Cezar, essa foi boa, imagina os murmurios da turma lá atrás, sendo ultrapassada ainda no grid.
luiz borgmann

Anônimo disse...

Ñ gosto de tecer comentários sobre a interpretação de cada um. Ainda mais qdo é sobre mim, pois de uma forma ou outra, a manifestação seria na primeira pessoa e não me sinto bem fazendo isso.
De qualquer maneira, o ridículo e a inominável sacanagem q me apresentaram naquele dia e na seqüência, nunca me desceu! Alem do mais, o resultado da armada maracutaia, teve um custo muito alto pra mim, tanto esportivo qto financeiro.
Sinto muito amigos, mas o q acabo de ler, sobre dois fatos aqui comentados, não conferem os verdadeiros. Os quais ainda guardo nos mínimos detalhes em minha memória.
Abrs
Bocão

Leandro Sanco disse...

Grande Bocão!

Obrigado pela tua participação aqui. Tu tens muitos fãs aqui, então apareça sempre!

Grande abraço,
Sanco